Loading...
Skip to content
Boletim de Resultados PP2 - Fevereiro / 2017


PP-2 se mantém acima da meta atuarial e avança 1,69% nos dois primeiros meses

O Plano Petros-2 (PP-2) acumulou rentabilidade de 1,69% nos dois primeiros meses de 2017, acima da meta atuarial para o período (1,65%). O resultado no mês ficou em 0,73%, levemente abaixo do objetivo de 0,79%. Os empréstimos deram o melhor retorno, com rentabilidade de 0,90%. Em seguida, com alta de 0,85%, estão os investimentos estruturados, compostos por Fundos de Investimentos em Participações (FIPs), veículos de investimento em empresas ou projetos de empreendimentos. Este resultado é devido a reavaliações positivas de alguns FIPs.

A renda fixa, que corresponde a quase 85% dos investimentos do plano, também ficou acima da meta atuarial, com desempenho de 0,80%. Dentro desta carteira, os fundos avançaram 0,94%, seguidos pelos títulos privados (0,90%) e pelos públicos (0,79%).

Abaixo da meta atuarial ficaram os imóveis, com rentabilidade de 0,60%, e a renda variável (ações negociadas em bolsa, fundos e participações em empresas), que recuou 0,25% em fevereiro. Este desempenho, em função da composição da carteira, foi causado pelas ações em participações, que caíram 1,03%, impactadas em grande parte pela queda das ações da BRF (setor de alimentos), que representa 32% deste segmento, e que vem sofrendo em parte por causa da recessão econômica. Já os fundos de renda variável subiram 2,28%, enquanto a carteira de giro teve alta de 1,14%.

 

 Grandes Números – PP2 – Fevereiro / 2017 – rentabilidade

* A rentabilidade total do plano é o retorno dos investimentos, descontados outros fatores que interferem no resultado, como, por exemplo, despesas de custeio administrativo.

Grandes Números – PP2 – Fevereiro / 2017 – investimentos


Composição da carteira do PP-2 (em %)

Grandes Números – PP2 – Fevereiro / 2017 – carteira de investimentos
 

Movimentação do PP-2 em fevereiro


Grandes Números – PP2 – Fevereiro / 2017 – seguridade

• Patrimônio de cobertura do plano (ativos): são todos os investimentos que o plano possui, mais outros recursos que ele tem a receber.

• Compromissos futuros do plano (passivo): são os valores comprometidos com os pagamentos de benefícios de todos os participantes, seguindo o que está previsto no regulamento do plano.

• Equilíbrio técnico: é basicamente a diferença entre os compromissos futuros e o patrimônio do plano. Sofre variações para mais ou para menos, de acordo com a movimentação desses compromissos e a rentabilidade dos investimentos. Quando os compromissos futuros ficam maiores que o patrimônio ocorre déficit. Quando a situação é inversa, há superávit.

Saiba mais: O superávit do PP-2 passou de R$ 178 milhões, em janeiro, para R$ 65 milhões, em fevereiro, em função do fraco desempenho dos investimentos, que não bateram a meta atuarial. Além disso, as contribuições voltaram a seus valores originais, mas com pequenas variações dentro da normalidade de cada patrocinadora.
 

Veja a versão deste boletim em PDF

Fundação Petrobras de Seguridade Social - Petros - CNPJ 34.053.942/0001-50

 Rua do Ouvidor, 98, Centro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil CEP 20040-030

 Central de Relacionamento: 0800 025 35 45 (dias úteis das 8h às 19h)

 Envie um e-mail