Loading...
Skip to content
Boletim de Resultados PPSP - Março / 2017

PPSP fecha 1º trimestre com rentabilidade de 3,43%, acima da meta atuarial


O Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP) encerrou o primeiro trimestre de 2017 com rentabilidade de 3,43%, acima da meta atuarial para o período (2,41%). O rendimento acumulado foi impulsionado pela boa performance da renda fixa, que corresponde a mais da metade dos investimentos do plano e soma alta de 7,19% até março, mais que o dobro do CDI (3,03%), que serve de referência.

No mês de março, no entanto, o resultado ficou negativo em 0,57%, frente a um objetivo de 0,73% de valorização. Este desempenho foi impactado pela renda variável (ações negociadas em bolsa, fundos e participações em empresas) e pelos investimentos estruturados, compostos por Fundos de Investimentos em Participações (FIPs), veículos de investimento em empresas ou projetos de empreendimentos.

A renda fixa ultrapassou a meta atuarial, com rentabilidade de 0,77%. No mesmo período, porém, o CDI rendeu 1,05%. Os títulos privados tiveram o melhor desempenho nesta carteira (4,59%), em seguida aparecem os fundos (0,98%) e, depois, os títulos públicos (0,68%).
Os empréstimos apresentaram boa performance, com alta de 1,38%, enquanto os imóveis renderam 0,23% em março.

Já a renda variável recuou 2,96% em março, acompanhando os dois principais referenciais do mercado, o Ibovespa (-2,52%) e o IBrX100 (-2,35%). O segmento foi impactado principalmente pelo mau desempenho de BRF, ativo que representa 21% da carteira de renda variável do PPSP e que recuou 4,95% no mês como reflexo da Operação Carne Fraca. As ações em participações encolheram 3,37%; a carteira de giro do plano caiu 1,43% e os fundos tiveram rentabilidade negativa de 1,15%.

Os investimentos estruturados tiveram desvalorização de 1,96% no mês. Este resultado foi causado por avaliações econômico-financeiras de alguns FIPs, que impactaram negativamente o desempenho deste segmento.
 

 Grandes Números – PPSP – Março / 2017 – rentabilidade

* A rentabilidade total do plano é o retorno dos investimentos, descontados outros fatores que interferem no resultado, como por exemplo, despesas de custeio administrativo.

Grandes Números – PPSP – Março / 2017 – investimentos

Composição da carteira do PPSP (em %)

Grandes Números – PPSP – Março / 2017 – carteira de investimentos
 

Movimentação do PPSP em março

Grandes Números – PPSP – Março / 2017 – seguridade

• Patrimônio de cobertura do plano (ativos): são todos os investimentos que o plano possui, mais outros recursos que ele tem a receber.

• Compromissos futuros do plano (passivo): são os valores comprometidos com os pagamentos de benefícios de todos os participantes, seguindo o que está previsto no regulamento do plano.

• Equilíbrio técnico: é basicamente a diferença entre os compromissos futuros e o patrimônio do plano. Sofre variações para mais ou para menos, de acordo com a movimentação desses compromissos e a rentabilidade dos investimentos. Quando os compromissos futuros ficam maiores que o patrimônio ocorre déficit. Quando a situação é inversa, há superávit.

Saiba mais: O déficit acumulado passou de R$ 25,983 bilhões, em fevereiro, para R$ 26,844 bilhões em março, basicamente em função do baixo desempenho dos investimentos. 
 

Veja a versão deste boletim em PDF

Fundação Petrobras de Seguridade Social - Petros - CNPJ 34.053.942/0001-50

 Rua do Ouvidor, 98, Centro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil CEP 20040-030

 Central de Relacionamento: 0800 025 35 45 (dias úteis das 8h às 19h)

 Envie um e-mail