Loading...
Skip to content
Governança / Comitês de assessoramento
Comitês de assessoramento

A Petros conta com comitês para assessorar e apoiar o processo de tomada de decisão do Conselho Deliberativo. Estes comitês são essenciais para fortalecer a governança na Fundação. Conheça-os.

Comitê de Investimentos

O Comitê de Investimentos é um órgão colegiado que tem por finalidade analisar e recomendar para deliberação do Conselho Deliberativo e/ou da Diretoria Executiva os investimentos e desinvestimentos a serem realizados pela Petros, além de monitorar a performance de todos os investimentos da Fundação.

São atribuições do Comitê de Investimentos analisar as Políticas de Investimentos dos planos administrados pela Petros; avaliar e recomendar investimentos e desinvestimentos e decisões estratégicas e táticas sobre ativos de alçada da Diretoria Executiva e/ou do Conselho Deliberativo; avaliar e recomendar outros investimentos e desinvestimentos e decisões estratégicas e táticas por determinação do Conselho Deliberativo, da Diretoria Executiva ou do Diretor de Investimentos; e monitorar e avaliar a performance dos ativos, considerando seus respectivos benchmarks e horizontes de investimentos.

Fazem parte do colegiado o Diretor de Investimentos; o Diretor de Riscos, Finanças e Tecnologia; e três membros independentes, nomeados pelo Conselho Deliberativo para mandato de dois anos, permitida uma recondução. Em matérias que sejam da alçada do Conselho Deliberativo, participam do comitê um conselheiro deliberativo, entre os representantes das patrocinadoras; e um conselheiro deliberativo, entre os representantes dos participantes.

Membros representantes do Conselho Deliberativo

  • André Luis Araujo Santana
  • Telmo Medeiros Lopes

Membros independentes

  • Cleveland Prates Teixeira
  • Everaldo Guedes de Azevedo França

 

Comitê de Riscos

O Comitê de Riscos é um órgão colegiado ligado à Diretoria Executiva, que tem por finalidade a supervisão das atividades de gestão de riscos da Petros, considerando a legislação vigente, o Estatuto Social da Petros, o Código de Condutas Éticas, o Programa de Integridade, as Políticas de Investimentos, o Manual de Alçadas e Competências de Investimentos da Petros, entre outros normativos internos.

Cabe ao Comitê de Riscos propor o apetite a riscos dos planos de benefícios e respectivos parâmetros de mensuração; garantir, de forma sistemática, a identificação de riscos relevantes para a Petros; e atuar na gestão dos riscos pertinentes ao negócio.

O colegiado é formado por oito membros, sendo quatro com direito a voto, e os outros quatro sem direito a voto, com reuniões ordinárias mensais e extraordinárias, em caso de necessidade. São membros com direito a voto o Presidente da Petros; o Diretor de Riscos, Finanças e Tecnologia; e dois membros independentes, nomeados pelo Conselho Deliberativo para mandato de dois anos, permitida uma recondução. São membros sem direito a voto o Gerente Executivo Jurídico e de Compliance; o Gerente Executivo da área responsável pela atividade de macroalocação na Diret