Loading...
Skip to content
Atalhos / Educação Financeira
Educação financeira

Já pensou em trocar uma dívida mais cara por outra mais barata?

Educação financeira - Condições para o PP-2

Quem tem dívidas sabe o custo delas no orçamento. Mas o que pouca gente presta atenção é que muitas vezes é possível reduzir os gastos ao trocar um empréstimo mais caro por outro mais barato. Ou seja, substituir um financiamento com juros maiores por outro com taxas menores.

O juro de um crédito pessoal, por exemplo, foi de 6,6% ao mês em junho, segundo dados do Banco Central. A conta saiu ainda mais cara para quem usou o cheque especial ou recorreu ao dinheiro de plástico: taxa de 12,4% ao mês, no primeiro caso, e de 12,1% no rotativo do cartão de crédito.

Para quem tem dívida nessas modalidades, a melhor opção é conseguir um novo empréstimo com custo menor e usar o dinheiro para pagar a dívida antiga. Assim, as prestações são substituídas por outras menores.

O empréstimo consignado é apontado por especialistas em finanças pessoais como uma das melhores alternativas para quem está precisando de dinheiro. É um tipo de crédito em que as parcelas são descontadas automaticamente no contracheque. Este financiamento é um dos mais baratos do mercado: a garantia do pagamento é o que explica o juro menor, já que o risco de inadimplência é mínimo.

A Petros oferece o empréstimo consignado aos participantes de vários planos e com uma grande vantagem: um custo muito mais baixo que o cobrado em outras instituições. Segundo dados do Banco Central, em junho a taxa média do mercado para crédito consignado foi de 1,9% ao mês. Na Petros, os participantes do Plano Petros-2, por exemplo, um dos maiores da Fundação, pagam taxa de 0,59% mais o IPCA (inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo), para valores dentro da reserva que têm na Fundação, e de 0,90% + IPCA, para empréstimos com valores acima do acumulado no plano.

PARA SABER MAIS SOBRE O EMPRÉSTIMO PETROS, CLIQUE AQUI

Como a Petros usa o IPCA de dois meses antes, em junho o participante do PP-2 pagou juros de 0,81% (o IPCA de março foi 0,22%) contra quase 2% da média do mercado para empréstimo com desconto em folha.

Assim, considerando as taxas praticadas no mercado em junho, uma dívida de R$ 1.000 no rotativo do cartão de crédito saltava para R$ 1.121 no período de um mês. Se o consumidor usasse o cheque especial para quitá-la, pagaria, 30 dias depois, R$ 1.124. Se pegasse um empréstimo consignado na Petros, os R$ 1.000 teriam um custo bem menor no mesmo período: R$1.008,10 para empréstimo dentro da reserva e R$ 1.011,20 para empréstimo acima da reserva, não considerando os demais encargos do contrato e o IOF em nenhum dos cálculos.

Quem ficasse devendo R$ 10 mil no cheque especial, pagaria R$ 11.240 um mês depois. No rotativo do cartão de crédito, a mesma dívida subiria para R$ 11.210. Na Petros, quem precisasse de R$ 10 mil, poderia quitar um saldo com a Fundação de R$ 10.081,00 ao fim de um mês, se tivesse valor equivalente na reserva, e de R$ 10.112, caso o empréstimo ficasse acima de sua reserva pessoal, também não considerando os demais encargos e o IOF nos cálculos.

As taxas do PP-2, oferecidas aos ativos, aposentados e pensionistas, também são usadas nos planos Petros do Sistema Petrobras-Repactuados (PPSP-R) e Petros do Sistema Petrobras-Não Repactuados (PPSP-NR). Participantes dos planos Anapar, FiepPrev, IBPPrev, Sanasa, PTAPrev, TermoPrev, Ultrafértil, Lanxess e Nitriflex/Lanxess também têm acesso a empréstimos em condições favoráveis, mas as taxas variam de plano para plano. Todos os empréstimos podem ser pagos em até dez anos, mas o participante precisa ter margem consignável para desconto da prestação.

O valor máximo chega a R$ 158 mil para empréstimos dentro da reserva e até R$ 50 mil para quem ainda não acumulou uma reserva mínima para os planos PP-2, PPSP-R, PPSP-NR. Nos outros planos, o valor varia de acordo com o regulamento.

Os empréstimos podem ser solicitados na Área do Participante do Portal Petros ou pela Central de Relacionamento (0800 025 3545).

 

Leia também

Saia das férias de julho com as finanças em dia

Renda e despesa: você sabe identificá-las?

Como acompanhar o orçamento mensal

Você conhece a Calculadora do Cidadão?

 

Fundação Petrobras de Seguridade Social - Petros - CNPJ 34.053.942/0001-50

 Rua do Ouvidor, 98, Centro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil CEP 20040-030

 Central de Relacionamento: 0800 025 35 45 (dias úteis das 8h às 19h)

 Envie um e-mail